segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Área Urbana X Área Rural - Teatro

A partir da apresentação do teatro em sala, trabalhamos este gênero em sala. Reestruturamos dois textos:


A Entrevista
( Escheley Victória Moura Silva , Bianca dos Santos, Felipe Rafael Michael, Ketlin Amanda Caetano de Meira e Thiago Brussecke Pires)

Personagens:
Josefina, trabalhadora
Fernanda, repórter
Fabiana, auxiliar da repórter
José, vizinho da Josefina
Diretor do programa de TV

CENA I
(Na sucursal da Rede Globo)

DIRETOR: Fernanda e Fabiana, vocês terão uma missão. Ir para o campo para fazer uma pesquisa sobre trabalhadores de lá! Vocês topam ir?
FERNANDA: OK, podemos ir agora.
FABIANA: Vamos logo!

CENA II
(Enquanto isso no campo)
JOSEFINA: José, será que você poderia construir um espantalho para mim?
JOSÉ: Sim.
JOSEFINA: Os pardais estão acabando com a minha horta.
JOSÉ: Esses pardais são danadinhos...
JOSEFINA: Quanto vai custar?
JOSÉ: R$ 37,50. Pode ser?
JOSEFINA: Pode.
Josefina sai.
JOSÉ: (Falando sozinho) Esses pardais estão ajudando meu negócio...

CENA III
(Fabiana e Fernanda chegam no campo e se deparam com o espantalho).
FABIANA: Que susto!
FERNANDA: Que negócio é esse? Macumba?
JOSEFINA: (Aparecendo) É um espantalho... Em que posso ajudá-las?
FABIANA: (Se recompondo) Ufa! Já passou...
FERNANDA: Estamos fazendo uma pesquisa para saber sobre o trabalho no campo. Poderia nos responder um questionário?
JOSEFINA: Sim, é claro!
FERNANDA: Como você se chama?
JOSEFINA: Josefina.
FERNANDA: Quantos anos você tem?
JOSEFINA: 23 anos.
FERNANDA: Quantos filhos você tem?
JOSEFINA: Não tenho filhos.
FERNANDA: Qual o seu trabalho?
JOSEFINA: Trabalho numa fazenda de porcos limpando o chiqueiro. Em casa, faço todo serviço e cuido da minha horta.
FERNANDA: Qual seria o meio de transporte que você utiliza?
JOSEFINA: Vou a pé.
FERNANDA: Quanto tempo você leva da sua casa até o trabalho?
JOSEFINA: Mais ou menos 1 hora?
FERNANDA: Nossa, tudo isso?! Podemos acompanhá-la um dia? Tem problema?
JOSEFINA: Não! Podem me acompanhar.
FABIANA: Pode ser hoje?
JOSEFINA: Claro!
FABIANA: Então, vamos!

CENA IV
(Seguindo pelo caminho)

FABIANA: Que horrível! Estou cansada...Vai demorar bastante?
JOSEFINA: Sim!
FABIANA: Você se cansa muito?
JOSEFINA: Já estou acostumada!
FABIANA: Sempre é assim, cheio de mosquitos?
JOSEFINA: Sim, sim...
FERNANDA: Você não quer ir conosco para a cidade, amanhã? Lá é muito melhor do que aqui.
JOSEFINA: OK, sempre quis conhecer a cidade!

CENA V
(Na cidade, dentro do carro)
FABIANA: Chegamos!
JOSEFINA: Nossa, que poluição e barulho...
FERNANDA: É, mas aqui nós temos transporte para ir para qualquer lugar. Não precisamos caminhar 1hora para chegar ao trabalho.
JOSEFINA: Que calor!
FABIANA: Mas tem praia...ar condicionado...
JOSEFINA: Que cheiro de esgoto...
FERNANDA: E você cheira que nem porcos...
JOSEFINA: Bom, acho melhor voltar para o campo. Pelo menos tem paz e sossego.
FABIANA: Ah, só uma coisa, aquele espantalho é horrível.
JOSEFINA: É claro, para espantar mocinhas da cidade! Podem me levar pra casa?
FERNANDA: Sim! Vou avisar a redação.



OS APURADOS
(Kleverson Yuri Filipp, Gustavo Ponciano, Daniel Melo Brizola, Jenifer Luize Massaneiro e Jenifer Cristina Maciel da Cunha)

Personagens:
Cão Rural
Cão da Cidade
Dono da casa
Gata 1
Gata 2
Figurantes ( mulher do dono da casa, filha e o filho)

CENA I
(Ao telefone)

CÃO RURAL: Oi, primo. Tudo bem?
CÃO DA CIDADE: Tudo. O que você deseja?
CÃO RURAL: Meu amigo, venha à minha casa.
CÃO DA CIDADE: É claro. O que vamos fazer?
CÃO RURAL: Vamos nos divertir no campo, jantar e depois assistir a um filminho. Quem sabe dormir aqui...
CÃO DA CIDADE: É claro. Que dia?
CÃO RURAL: Hoje!
CÃO DA CIDADE: A que horas?
CÃO RURAL: Às cinco
CÃO DA CIDADE: Está bem. Só preciso do endereço e o número da casa.
CÃO RURAL: O número é 322, Francisco Gretter.
CÃO DA CIDADE: OK.

CENA II
(Chegando à mesa)

CÃO RURAL: Nossa, foi divertido, hoje...
CÃO DA CIDADE: Que cheirinho bom!
CÃO RURAL: Vamos comer?!
CÃO DA CIDADE: Claro, estou faminto!
CÃO RURAL: A comida é gostosa, lá na cidade?
CÃO DA CIDADE: Sim, mas a comida na sua casa eu quero experimentar.
CÃO RURAL: Está bem.
CÃO DA CIDADE: (Lambendo os beiços) Nossa! Que comida! Parece... Hummm... Eu nunca comi esta sobremesa.
CÃO RURAL: É que eu peguei o segredinho da vovó, sabe?
CÃO DA CIDADE: É, tá igual... Tá melhor que Pedigree. (Levantando da mesa) Obrigado pelo jantar. Tchau.
CÃO RURAL: Fique para dormir, está tarde...
CÃO DA CIDADE: Preciso ir. Tenho uma reunião importantíssima...
CÃO RURAL: Ah, então vá... Tchau! Foi ótimo, você vir aqui!

CENA III
(Novamente ao telefone)

CÃO DA CIDADE:(Ligando...) Olá, meu amigo. Quer vir aqui, na minha casa, tomar um café?
CÃO RURAL: Sim.
CÃO DA CIDADE: Então, venha às 3...
CÃO RURAL: Hoje?
CÃO DA CIDADE: É claro que é hoje!!!!
CÃO RURAL: Está bem.

CENA IV
(O Cão Rural chega na casa do amigo e encontra a mesa posta. Prepara-se para o ataque...)

CÃO DA CIDADE: (Contendo o amigo) Não, amigo. Não podemos comer ainda. Só podemos depois dos donos.
CÃO RURAL: Ah!! Que pena!
CÃO DA CIDADE: É uma pena, mesmo.
(Os dois ficam tristes, se lamentando.)

CENA V
(Chegam os donos da casa, com duas gatas)

DONO DA CASA: Hum... Que cheiro bom! Esse cheiro me deu uma fome, muito grande.

(Sentam à mesa. As gatas ficam embaixo da mesa comendo Whiskas.)

GATA 1: Sua comida está boa?
GATA 2: Sim, e a sua?
GATA 1: Sim, mas tem coisa melhor. Olha aqueles cachorros.
GATA 2: Vamos botar eles pra correr!
GATA 1: Bora lá! Atacar!!!
(As gatas foram pra cima dos dois Pinschers. Os cãezinhos correram assustados.)
CÃO RURAL: Prefiro meu lugar calminho. Xau, amigo. Até nunca mais... (Brincando).
CÃO DA CIDADE: Está bem! Desculpe-me pela confusão...
CÃO RURAL: (Saindo) Ai, que fome!...


Nenhum comentário:

Postar um comentário