quinta-feira, 14 de junho de 2012

Pequenos objetos, grandes histórias

A partir de questionamentos como
Quem faz a História? Como se faz a História? Como os arqueólogos sabem como viveram os povos antigos? os alunos foram levados a pensar sobre o processo de construção e registro da História.

Os alunos foram convidados a revisitar seu baú particular e escolher um objeto que fizesse parte de seu passado e registrar as histórias relacionadas a ele.


As histórias foram digitadas e expostas juntamente com objeto de valor sentimental.



Alguns registros:

A minha bola
(Bruna Moreira Barbosa)

Eu tinha 2 anos de idade e a minha mãe me levou no centro de Rio Negrinho para passear.
Ela levou o meu irmão e eu para batermos esta foto; meu irmão tinha 3anos.
Ela tinha comprado 2 bolas; uma para mim e outra para meu irmão.
Meu irmão estourou a bola dele.
Eu tive que dar a minha pra ele porque a minha mãe falou:
-Já que aconteceu de estourar, dá pra ele brincar.
A minha mãe, no mesmo dia, levou-nos à igreja para rezar pela nossa família.


Minha Fotografia
(Escheley Victória Moura Silva)

No dia 24/12/2006, fui para São Paulo em um parque aquático com minha mãe e minhas primas que moram lá.
Depois fomos no cinema, aproveitamos que estávamos no Schopping e tiramos esta foto.
Essa foto que tirei foi muito importante para mim porque foi a primeira vez que conheci aquele Estado.
O fato mais curioso foi que no outro dia era o Natal, e que eu acordei ás 6:00 da manhã porque tinha alguém batendo na porta. Acordei e minha tia me chamou para eu ver o que era. Eu levei um susto: era o o Papai Noel, ele veio dar um presente para mim.
Ganhei um par de patins e uma boneca que eu tenho guardados até hoje.


  A Minha ursinha
Preferida


Toda vez que eu dormia eu me agarrava na Lili. Eu dormia igual a Lili.
Claro, sempre segurando-a na mão onde quer que eu fosse!
E minha mãe ficava falando:
-Larga disso, menina! Você é bem grandinha, já!
E eu dizia:
-Não!A ursinha é minha! Não vou te dar! Lelolelo, você não me pega!
E minha mãe dizia:
-Venha aqui, menina safada!
E assim era o dia inteiro... E até hoje durmo com ela.
E é tão legal!

FIM
Autora:Luana de Paula


Meu boneco

Certo dia, eu , minha mãe, minha tia e minha irmã fomos no mercado fazer compras. Passamos por várias prateleiras , eu avistei um boneco muito legal.
Queria que minha mãe comprasse ele para mim, mas ela não tinha dinheiro. Fiquei insistindo.
Minha tia disse :
-Deixa que eu compro para você de presente.
Na época eu tinha cinco anos. Agora tenho nove anos e ainda tenho ele. Está bem cuidado quase novo.
Onde vou levo ele, não deixo ninguém estragá-lo.
Meu boneco mexe a cabeça, dobra as pernas e os braços. Faço coisas incríveis com ele; coloco dentro do meus carrinhos , em cima do meu cavalinho e no helicóptero.
Guardo numa caixinha com carinho. Tenho outros brinquedos mas ele é muito importante para mim.

(Vinícius  Kauã Rodrigues)


Aconteceu um fato inusitado com relação ao trabalho do Vinícius. Este trabalho demorou mais dois meses para ser concluído devido as dificuldades de digitação e correção dos trabalhos.
Neste período os objetos ficaram guardados na escola. A mãe do menino já havia relatado que o filho estava com uma saudade enorme do seu brinquedo e que ele queria levá-lo para a casa antes de terminar o trabalho.
No dia em que os trabalhos foram expostos, o boneco foi furtado para sua decepção.
Começou, então, um trabalho de investigação...
No dia seguinte, alguns minutos antes de terminar a aula, a Professora Eliane localizou o boneco para a felicidade do Vinícius e alívio de todos.

Todos os alunos participantes tiraram fotos e pretendemos fazer um vídeo sobre este trabalho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário